Polícia Civil da Bahia firma parceria com tecnologia para dar celeridade a coleta de provas digitais

0

A entidade passará a utilizar plataforma de meio coleta da Verifact para registrar conteúdos da internet com mais qualificação e agilidade

A Polícia Civil da Bahia (PCBA) firmou parceria para uso da ferramenta de captura de provas digitais da Verifact. O objetivo é utilizar a nova tecnologia para coletar conteúdos da internet como prova, de forma mais célere que a forma convencional no combate à crimes na internet.

Segundo o texto publicado no Diário Oficial, publicado dia 17 de julho, a solução da Verifact será empregada para captura e registro técnico de provas digitais a serem registradas a partir de navegadores, tais como conteúdos de redes sociais, webmails, whatsapp, sites institucionais, blogs, entre outras, para uso da PCBA.

O Termo de Cooperação Mútua foi firmado após busca da Polícia Civil da Bahia por uma solução para uma lacuna no órgão na cadeia de custódia e no processo da coleta de provas digitais, conta o delegado Delmar Araújo Bittencourt, do Departamento de Inteligência Policial (DIP) e responsável pelo Laboratório de Tecnologia e Crime Cibernético. “A gente queria (a produção de) um documento que fosse prático e pudesse utilizar como solução nas investigações envolvendo delitos cometidos dentro da rede mundial de computadores.”

A solução da Verifact atende aos cinco primeiros princípios da cadeia de custódia previstos na Lei 13.964/2019 (Lei Anticrime) para a captura de provas, inclusive nos meios digitais, e segue normas forenses internacionais, em especial as diretrizes da ABNT NBR ISO/IEC 27037:2013.

Ao final do processo de coleta, a ferramenta gera um pacote com a captura completa de vídeo e imagens da tela, arquivos baixados, um relatório técnico em arquivo de tipo PDF/a e metadados que permitem que o material passe por perícia ou auditoria futuramente. Para autenticação dos documentos digitais, a solução se vale da Certificação Digital ICP-Brasil, regulamentada pelo governo brasileiro por meio da MP 2.220-2/2001.

A solução será agora adotada pela Polícia Civil da Bahia para investigação de delitos envolvendo vingança digital e outros, principalmente contra a mulher, praticados pela internet.

Antes da adoção da ferramenta, as provas digitais eram apresentadas por meio de certidões expedidas por um servidor com fé pública, afirma o delegado. “Mas a gente entendeu que não era tão eficaz quanto as ferramentas digitais. A certidão é mais rudimentar, então precisa de uma atenção maior para que se faça a descrição do que está enxergando de forma correta, enquanto que a Verifact é uma solução em que se faz isso com rapidez e segurança maior. Além de ter uma demonstração daquela informação que quer comprovar, a gente tem um relatório de imagens e vídeo. Isso é bastante interessante para quem vai oferecer a denúncia, acusar, julgar, para ter a real ciência do que está sendo denunciado. A prova tem integridade e confiabilidade maior.”

Quando se trata de coleta de provas digitais, o cuidado precisa ser redobrado. Afinal, são vidas humanas envolvidas ali. “Pode ser que uma falha prejudique lá na frente, uma letra, um número equivocado preenchido no lugar de outro. Além disso, há um tempo maior para se refazer aquilo e talvez, quando for feito, pode ser que o documento não esteja mais disponível.”

Segundo Bittencourt, um dos fatores que levaram a PCBA a firmar o Termo de Cooperação Mútua com a Verifact foi a visibilidade e o grau de confiança da empresa. “As empresas e instituições sérias que estão utilizando a ferramenta serviram como referência para que a gente optasse por contatar a Verifact.”

A plataforma já é utilizada pelos Ministérios Públicos de São Paulo e da Bahia, pela Polícia Civil do Paraná, por escritórios de advocacia, peritos forenses e departamentos jurídicos de grandes empresas como Habibs, Electrolux e Veloce. Tem ampla aceitação nos tribunais, além de recomendação de uso pela Justiça do Trabalho de Santa Catarina.

Para a sócia-fundadora da Verifact, Regina Acutu, o Termo de Cooperação firmado com a PCBA mostra que a plataforma atende de forma técnica às exigências de órgãos de investigação. “Essas novas parcerias com órgãos públicos e outras que estão em negociação vêm reforçar a importância de coletas mais céleres e, principalmente, seguras, e que a Verifact é realmente uma solução confiável que atende a esta necessidade. Até quem tem fé pública já nota a necessidade de utilização de ferramentas tecnológicas para dar mais robustez aos conteúdos coletados”.

Fonte: jusbrasil.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui