PRIMEIRO LIVREIRO DE LUANDA HOMENAGEADO PELO MINISTÉRIO DA CULTURA

0
Foto: O País

O ancião angolano José Antônio de Carvalho recebe reconhecimento do Ministério da Cultura Turismo e Ambiente de Angola, por ser o primeiro livreiro de Angola, o pioneiro na venda de livros na via pública em Luanda e isso já soma mais de 30 anos.

Ele não sabe dizer o dia em que tudo começou, como teve a ideia de si tornar alfarrabista, mas lembra que foi na década de 80, quando frequentava a Livraria Lello, foi quando encontrou livros exposto e outros livros trancados em uma vitrine e foi ter com o gerente, e curiosamente lhe perguntou o porque dos livros trancados, o gerente lhe disse que aqueles eram livros raros e caros, e que não seriam reeditados, eram inéditos.

Daquele dia em diante, saiu dali com a ideia aficionada na cabeça, em montar um negócio de Livros em Luanda.
Começou seu negócio com os livros no Bairro Terra Nova, quando ainda era empregado da Empresa Nacional de Lotarias de Angola, ele é quem fazia o registro de matrizes da Totobola e Totoloto.

O seu patrão enfrentando sérios problemas financeiros, permitiu deixar ele vender seus artigos em comum acordo na loja, dentro da dificuldade que a empresa estava tendo para cumprir compromissos financeiros, e ali começava a trajetória alfarrabista de João Antônio, depois de sair dessa loja, foi fixar seu ponto de venda junto ao Cine Ngola, contou que lá expondo no primeiro dia, chegou um cliente que lhe comprou todos os livros, de maneira que o incentivou de imediato a seguir no negócio.

Começou seu negócio com livros de casa, os seus próprios, depois foi adquirindo experiência, como já conhecia algumas editoras nacionais e estrangeiras e alguns autores de nome e bem consumidos pelo público leitor, seguiu em frente fazendo disso o inicio de uma grande experiência.

E hoje Luanda conta com mais de 20 alfarrabistas/livreiros, vivendo da prática desse oficio.Nem a chegada da internet fez ele desistir do seu negócio. João Antônio de Carvalho é um dos mais emblemáticos alfarrabistas, porque não dizer, livreiro de Luanda.

Com mais de 3 décadas de ofício e agora é oficialmente reconhecido pelo seu trabalho pelo Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente. Ele que gosta de conversar sobre livros, sobre o novo estado da Literatura angolana, tem também o sonho de se tornar escritor, já tem originais para um livro de poemas e o outro de enigmas e adivinhações.

Por: Roberto Leal 

http://www.camacari.ba.gov.br/cadastro/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui