Sedap faz a primeira compra do PAB

0
Foto: Tiago Pacheco

A primeira compra do Programa Alimenta Brasil (PAB), antigo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), foi realizada na manhã desta terça-feira (15/3). Através da iniciativa, a Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pesca (Sedap) terá o recurso de R$1,04 milhão liberado pelo Governo Federal, o maior da Bahia, para obtenção de produtos da agricultura familiar. A ação ocorreu no Banco de Alimentos.

Foto: Tiago Pacheco

A perspectiva é de que as compras aconteçam às terças e quartas-feiras, sempre no turno da manhã, com entrega às instituições beneficiadas nos mesmos dias e ainda às quintas-feiras. Nesta primeira semana serão em torno 18 toneladas de 62 tipos de produtos, adquiridos direto da mão de 20 produtores rurais das comunidades de Cancelas, Cajazeiras, Tiririca, Cordoaria e Lagoa Seca.

Os alimentos serão entregues em sete organismos, entre instituições socioassistenciais e órgãos da gestão, que atenderão a aproximadamente 510 famílias. São elas: Pestalozzi, Recanto das Árvores, Associação Paulo Tonucci (Apito), Centro de Convivência do Idoso e da Família, além do Centro de Referência Especializado em População em Situação de Rua (Centro Pop), Banco de Alimentos, e o Centro de Convivência da Pessoa Idosa (Conviver).

Coordenadora do PAB, Ana Guedes

A coordenadora do PAB, Ana Guedes, falou sobre a programação da Sedap, “estamos fazendo dois dias de compras para facilitar para os produtores. Na próxima semana iremos comprar aproximadamente 40 toneladas, a ideia é manter as aquisições semanais até o fim da verba, que deve ser no final do mês de agosto”.

Maria da Conceição Andrade de Oliveira

Da localidade de Tiririca, a produtora Maria da Conceição Andrade de Oliveira, 50 anos, vendeu abacate e inhame e fez uma avaliação da ação. “Maravilhoso! É bom a gente poder vender o produto que a gente produz, é mais fácil porque a gente vende todo ano um tanto, melhor do que estar na feira”.

Cristiane de Carvalho de Jesus

A também produtora, mas da localidade de Lagoa Seca, Cristiane de Carvalho de Jesus, 37 anos, falou sobre os produtos, “é o que a gente tira da nossa roça, nosso alimento, a gente vive dessa venda. É importante pra mim vender para esse programa”. Dessa vez, ela vendeu limão, abacate e coco seco e verde, mas tem outros produtos na plantação.

ASCOM/PMC

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui